Uma pesquisa realizada pela firma BVA por solicitação da revista francesa  L’Express e do BPI Group, sobre a empresa ideal, foi feita em 2012 com mais de 9.000 colaboradores em 16 países: Alemanha, Bélgica, Brasil, Canadá, China, Espanha, Estados Unidos, Finlândia, França, Itália, Marrocos, Polônia, Romênia, Reino Unido, Rússia, Suíça.

Aqui estão alguns dos resultados da pesquisa:

Prazer 

fun_work

Na sua opinião em qual país as pessoas vão ao trabalho com prazer?

  • O campeão, Brasil, com  96% dos entrevistados respondendo sim, totalmente de acordo  ou  de acordo com a questão  : «Você gosta de vir trabalhar ?»
  • Os perdedores , Reino Unido e França, com respectivamente 78% e 80% das pessoas indo trabalhar felizes.
  • O Canadá alcançou uma média de 85%.

Dinheiro

argent-travail

O que você acha do salário que recebe?

  • Na Rússia, somente 37% dos entrevistados se diziam satisfeitos com a sua remuneração.
  • Na Romênia , o resultado não foi muito mais elevado , 40%.
  • Os trabalhadores mais contentes com o nível salarial foram os Suíços  com uma taxa de satisfação de 66%.

Motivação

motivation carrot donkey

Se sente motivado com o seu trabalho?

  • Muitos suíços são, 90% deles segundo a pesquisa. (Os mais motivados são os mais satisfeitos em relação ao seu salário!)
  • Os Marroquinos tiveram uma média de  51% em relação à motivação.

Jornada de trabalho

femme chargée

Você acha que a jornada de trabalho é um fator muito importante, importante, regular ou  tem pouca importância ?

  • Os brasileiros são 59% mais propensos a considerar a carga de trabalho como normal. (E eles também são os que  mais  trabalham com prazer!)

Expressão

free speech work

O que acontece quando dizemos o que pensamos no nosso local de trabalho?

  • Isso permite encontrar soluções para 91% dos brasileiros, 90% dos finlandeses e 89% dos russos.
  • Pode ser desaprovado por  53% dos Romenos  e 48% dos Chineses.

Esperas

facebook checking

O que a empresa espera que seja prioridade para o colaborador?

  • Produtividade  para  70% dos trabalhadores no Canadá e 65% nos Estados Unidos.
  • Qualidade para 76% dos russos, 64% dos suíços, 63% na Bélgica e 62% dos romenos e marroquinos.
  • Autonomia para apenas 3% dos poloneses e 4% dos alemães.